CGD é o primeiro banco a pôr “spread” da casa abaixo de 2%

Depois da descida do BCP, foi a vez da CGD rever em baixa as taxas cobradas nos empréstimos para a compra de casa própria. Reduziu em 75 pontos base o “spread” mínimo, colocando a margem abaixo dos 2%. A Caixa Geral de Depósitos (CGD) esmagou o “spread”. Depois do corte do BCP, no arranque deste mês, o banco do Estado avançou esta semana com uma descida expressiva na margem mínima exigida aos seus clientes para a concessão de crédito à habitação. É o primeiro banco a apresentar uma taxa abaixo dos 2%, abrindo a porta, dizem os economistas, a que outros sigam o exemplo, na tentativa de reavivar um negócio que lhes permita gerar lucros.
Print
Até ao final da semana passada, o banco liderado por José de Matos apresentava no seu preçário uma margem mínima de 2,5%, sendo a máxima de 5,65%. Desde segunda-feira, a taxa mais baixa para operações com notação de risco favorável foi revista para 1,75% – a mais alta caiu para 4,25%. “A CGD sempre foi um banco com grande relevância no crédito à habitação. Quer continuar a sê-lo”, diz fonte oficial, acrescentando que a “descida marca um reposicionamento no crédito à habitação”. “Este corte significa que será mais fácil obter crédito para a casa”, remata.

Este é um corte expressivo que, contudo, não surge como uma surpresa tendo em conta a baixa taxa paga na emissão de obrigações hipotecárias realizada em Janeiro. “Financiando-se a CGD com estes ‘spreads’ [pagou 1,09%], podemos esperar que tenha condições para financiar tanto famílias como as empresas com ‘spreads’ mais baixos”, disse João Nuno Palma, administrador financeiro da CGD, ao Negócios. “Este nível de financiamento vai permitir-nos sermos mais competitivos no crédito hipotecário”, rematou.
Melhor oferta
Com a redução aplicada ao “spread”, a CGD passa a ter a taxa mais baixa no mercado português. Destronou o Banco Popular, que tem um “spread” de 2,25%, mas também o BCP que nas últimas semanas tinha demonstrado a maior aposta no mercado do crédito à habitação com uma redução do “spread” para o mesmo patamar: 2,25%, de 2,5%.
Esta semana, também o Santander Totta fez uma atualização da margem mínima que passou de 2,49% para 2,44%.
“Os ‘spreads’ estavam elevados”, diz Paula Carvalho. Estes cortes “inserem-se num percurso de normalização, em linha com a melhoria das condições de financiamento da banca”, nota a economista-chefe do BPI. Neste sentido, “atendendo à escassez de alternativas de aplicação de fundos e de realização de negócio, é possível que essa tendência [de redução de ‘spreads’] se estenda ao sector”, diz Paula Carvalho. “É de esperar que os ‘spreads’ continuem a baixar”, diz Filipe Garcia. “A dúvida é sobre as restantes condições de financiamento, nomeadamente indexantes, e nas percentagens de empréstimo concedido face ao valor dos imóveis”, diz o economista da IMF.
Renovar aposta
“Algumas das condições para a concessão de crédito têm vindo a melhorar”, nota Paula Carvalho. “Em particular, no segmento das famílias, a queda da taxa de desemprego e o recuo dos níveis de endividamento, para além de um aumento da procura por financiamento”, diz. Estas mudanças “justificam que os bancos apostem de novo neste segmento, o do crédito à habitação”, refere a economista.
“Durante os últimos anos os bancos estiveram a digerir carteiras de malparado no imobiliário, algo que em alguns casos já poderá permitir acomodar mais risco”, sublinha Filipe Garcia. E remata: “há que ter a noção que os bancos têm de emprestar dinheiro para poderem ser rentáveis”. Ou seja, só assim conseguem gerar margem, o que poderá fazer aumentar os seus resultados.
Fonte: Negócios

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s