ENTREVISTA REVISTA EXAME: INCUBADORA DE NEGÓCIOS

Revista Exame - Agosto 2017 - KW Business - KW Pr1me

Integrados no universo Keller Williams (KW) há três anos, os grupos Business e Pr1me assumem-se como “incubadoras de negócios”. Uma empresa de consultores imobiliários que apoia o negócio dos seus consultores.

Qual posicionamento da KW Business e da KW Pr1me?

Patrícia Santos: O Grupo Business e o Grupo Pr1me operam no mercado imobiliário há 11 e 16 anos, respetivamente. Em 2015, os dois grupos decidem realinhar o seu posicionamento sob a marca KW, o trabalho continua alicerçado na angariação, compra e venda de imóveis. No entanto, internamente, a filosofia da empresa é completamente diferente do que existe no nosso mercado. A KW é uma empresa focada no consultor imobiliário e, portanto, aqui a marca não é a KW, mas sim o consultor e tudo está centrado no crescimento do consultor e do seu negócio.

Patricia-Santos_Grupo-BusinessComo caracteriza o core business do grupo? Qual a vossa vocação empresarial?

P.S. – A nossa vocação é a incubação de negócios. Somos uma empresa de consultoria e formação que opera no mercado imobiliário. Proporcionamos modelos, ferramentas e formação para que os consultores possam desenvolver o seu negócio, dotá-los de competências de liderança para que possam criar equipas imobiliárias e terem um crescimento considerável. E esta é uma grande diferença face à concorrência.

João Morgado: Apostamos no crescimento dos nossos consultores promovendo a criação de um negócio, através do acompanhamento consistente, formação, seguindo os modelos e sistemas da KW. Sendo esta empresa de consultores para consultores, acreditamos que só com o desenvolvimento dos mesmos conseguiremos alcançar os resultados pretendidos.

 

Como caracteriza o core business do grupo? Qual a vossa vocação empresarial?

P.S. – O Grupo Business opera no Norte do país com incidência em Braga, Porto, Vila Nova de Famalicão e Vila do Conde, tendo operações mais pontuais noutros concelhos do Norte Litoral.

J.M. – Na Pr1me, atuamos, essencialmente, nos concelhos de Cascais, Oeiras, Sintra e Lisboa. Apesar de contarmos com consultores que trabalham fora destes concelhos. Mas a grande fatia de negócio advém destas áreas.

Residencial ou empresarial? Qual dos setores é estratégico na vossa carteira de clientes?

P.S. – Procuramos que os nossos consultores sejam capazes de ajudar quer na venda de um imóvel habitacional ou de negócio quer na procura de soluções ajustadas de compra, seja para habitação, negócio ou investimento. Apresar disso, pelo facto de a procura do mercado ser significativamente superior, estamos mais focados no mercado residencial. No entanto, estamos preparados para apresentar propostas de valor diferenciadoras para o mercado empresarial.

J.M. – Nestes últimos anos o distrito de Lisboa tem apresentado enorme dinamismo, tanto a nível residencial como empresarial, fruto também da aposta internacional em ambos os sectores. O mercado tem absorvido vários tipos de produtos empresariais. Contudo, a nossa estratégia passa por um foco maior no residencial. Mas procurando dar resposta às necessidades do mercado, sempre que surge a necessidade de transaccionar um imóvel empresarial, as equipas estão plenamente preparadas para isso.

O aumento do turismo teve impacto na vossa lista de clientes?Morgado-pr1me

P.S. – A norte sim, não tão significativo como desejávamos, mas sim. O Porto, por exemplo, está na moda e atrai investidores estrangeiros, e também nacionais, que estão a vender imóveis de férias noutros locais para comprar no Porto e no Norte.

J.M. – Efetivamente, o turismo, a par com alguns programas lançados pelo Governo, traz clientes estrangeiros, de várias partes do Globo, o que contribui significativamente para o aumento das vendas imobiliárias. Lisboa está na moda e é financeiramente atrativa, pois o valor por metro quadrado é muito inferior ao de outras capitais europeias. Acredito que este entusiasmo estrangeiro no investimento imobiliário também já começou a ter impacto no Porto e que, certamente muito em breve, constituirá um desafio positivo para os mercados de Cascais e Braga, entre outros.

Atualmente, como está organizada a vossa rede de Franchising?

P.S. – A rede nacional conta com mais de 1300 consultores. Nas nossas empresas em concreto, contamos com cerca de 600 consultores, 360 a norte e 240 na grande Lisboa. Entre os dois grupos, temos sete das 19 lojas da rede.

Até ao final do ano, quais as metas a que se propõem?

P.S. – Pretendemos continuar a crescer, prestando um serviço de qualidade ao cliente que nos procura e ao consultor que confia em nós para ajudar a desenvolver o seu negócio. Estimamos crescer cerca de 70% face ao ano anterior, em volume de negócios, e abrir o maior centro de negócios da Península Ibérica.

J.M. – Está a ser um ano extraordinário em todos os aspetos: recrutamento e volume de negócios. Acabámos de atingir o volume de faturação de 2016 e prevemos acabar o ano com um crescimento acumulado de 125%. Para alavancar os bons resultados do grupo Pr1me abrimos um novo market center na zona do Restelo. Um dos grandes objetivos, até ao fim do ano, é reforçar a estrutura de apoio aos nossos consultores, salientando o trabalho de coaching da nossa parte, de modo a terem todas as condições para desenvolverem o seu talento e atingirem mais rapidamente os seus objetivos.

Qual o saldo dos três anos de actividade no mercado Português?

P.S. – Dos 11 anos do mercado imobiliário, dos quais três sob a marca KW, só temos a dizer bem. Sentimos que conseguimos ajudar as famílias que nos procuram a realizar os seus sonhos e os consultores a desenvolverem o negócio. Sentimos que todos crescem de forma saudável e se desenvolvem pessoal e profissionalmente. E esse é o nosso maior foco.

J.M. – Em jeito de balanço de 16 anos de actividade, nestes três anos de mundo KW demos um salto de gigante. Estamos com a marca certa para o desenvolvimento do mercado imobiliário. Estamos com as pessoas certas, no lugar certo e também a ajudar a criar as ferramentas certas para esse desenvolvimento. Este saldo é também a sede de futuro que temos, com a criação do programa de gestão imobiliário, uma joit-venture entre os grupos Pr1me e Business, da KW Portugal, e um parceiro tecnológico e que constitui uma enorme vantagem estratégica e diferenciadora da concorrência.

Retirado de: Revista Exame – Edição 400 –  Agosto 2017.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s